Instituição filantrópica precisa de doações para continuar atendendo crianças em bairros carentes de



Conta de luz, telefone, salários. Somente em uma das três unidades do instituto Fé e Alegria em Cuiabá, os gastos chegam a R$400 mil por ano. Para conseguir fechar o mês no azul, os coordenadores buscam sempre mais doadores, já que somente os recursos públicos não dão conta da demanda de atender crianças e pessoas com deficiência na capital.


O instituto, sob o slogan ‘Educação Popular e Promoção Social na construção de sociedades justas e fraternas’, nasceu na Venezuela, com o trabalho de um padre jesuíta em parceria com moradores. Hoje, ele está em vinte países e quinze estados, sendo que em Cuiabá foi criado em 1981, com apoio dos devotos da Paróquia Nossa Senhora do Rosário e São Benedito. A primeira unidade, creche Nossa Senhora aparecida, foi inaugurada no bairro Alvorada, mas hoje não funciona mais, assim como outra, no Canjica, que não conseguiu se manter. Atualmente, estão em funcionamento as unidades do Novo Paraíso e Jardim União, que atendem crianças de dois a cinco anos e onze meses, e Planalto, que atende também pessoas com deficiência.


São crianças que estão em situação de vulnerabilidade, famílias que precisam do nosso apoio... Nossa missão é realmente transformar comunidades. Transformar aquela realidade que se encontra em situações não adequadas para as crianças. Nossa luta também é poder contribuir para a sociedade. Nossa visão é de que podemos ter um mundo melhor, onde todo mundo pode ajudar todo mundo”, explica a coordenadora executiva da fundação, Maria Ivone Veiga.


Para se manter na capital mato-grossense, cada unidade da fundação tem seus apoios, com fomento da Secretaria Municipal de Educação (SME), da Secretaria Estadual de Educação (somente no bairro do Planalto), ajuda da Paróquia (por meio das ofertas), de empresários, parceria com o programa Mesa Brasil e apoio dos pais das crianças, que ajudam com o que podem. No bairro Novo Paraíso, as 110 crianças entram às 7h da manhã e ficam até as 16h. Recebem café da manhã, almoço e lanche, e, separadas por idade, brincam e aprendem. “Temos que atender a legislação, que nos pede alguns tipos de atendimento e também a base nacional curricular (BNCC)”, explica Ivone. “Para além disso, nós temos a questão do atendimento da criança, que é um ser que não vem pra cá sem saber nada. Nós temos que aproveitar aquilo que ela já vem de casa sabendo, que ela já aprendeu com os pais, os familiares, com quem convive. A educação popular, que é nossa metodologia da fundação, nos permite trabalhar e desenvolver a autonomia da criança, [pensando ela como] um ser que possa construir, se desenvolver, e acreditar no próximo”.


Também neste bairro, a unidade atendia menores aprendizes, em parceria com instituições privadas. Por faltas de recursos, no entanto, o programa vai acabar em breve, assim que terminar a turma atual. Amigos do Fé e Alegria Pensando em angariar mais recursos para garantir o funcionamento das três unidades, a coordenadora decidiu criar um projeto chamado ‘Amigos do Fé e Alegria’. Quem quiser se tornar um amigo pode fazer doação de qualquer espécie, seja dinheiro, alimentos, móveis, ou mesmo de seu tempo. “Para a alimentação nós temos parceria com o Mesa Brasil e recebemos alimentação da merenda escolar. Não é o suficiente, mas já contribui”, explica. “No mês que conseguimos uma doação, a gente comemora: ah, vamos conseguir servir fruta a semana toda! Mas tem meses que a gente não consegue servir porque a doação foi pouca”. Os ‘Amigos do Fé e Alegria’ podem, por exemplo, fazer uma doação mensal com depósito em conta, ou pagar o pão de um dia da semana, ou enviar frutas para uma quantidade certa de dias. “Se puder doar esse mês, mas talvez de novo só outro mês, tudo bem! Pode ser um amigo que queira fazer uma festa em um dia para as crianças, com ação pontual... a ideia é que a gente possa ter esse contato e esse amigo também venha conhecer nosso trabalho”, afirma Ivone.


“O que nós precisamos é de pessoas que acreditem na nossa missão, que venham transformar essa sociedade, essa comunidade, pessoas que estejam dispostas e engajadas ao serviço social, à educação. Porque Fé e Alegria trabalham nessas duas políticas, o social e a educação”, finaliza. Serviço Fé e Alegria em Cuiabá Centro de Educação Especial Vida e Fraternidade Rua Olímpia, 191, Planalto Telefone: (65) 3321-3808 Centro Integrado da Criança e Adolescente – Centro de Educação Infantil Pe. José Tem Cate Rua Clóvis Pompeu de Barros, s/n – Novo Paraíso Centro de Educação Infantil Rosa Mutran Maluf Rua 22 de novembro, s/n – Jardim União Telefone: (65) 3634-6146 Redes sociais: FAN PAGE / SITE / Email: contato.mt@fealegria.org.br Conta para depósito: Banco do Brasil Ag 3325-1 C/c 130.158-6 Fundação Fé e Alegria Ações Jantar no dia 11 de maio. Ingressos por R$10, à venda nas unidades do Fé e Alegria. Local: Unidade Jardim União Horário: 19h Rifa de uma televisão e um prêmio surpresa Venda nas unidades Fé e Alegria Sorteio: no dia do jantar

Veja mais fotos do projeto: clique aqui

#creche #cuiaba #institutoeducaopopular

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
CONTATO

Neila Barreto

Jornalista e Historiadora

Telefone:

65-99981-7764

 

Email:

neila.barreto@hotmail.com 

  • Black LinkedIn Icon
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Google+ Icon
  • Black Instagram Icon

© 2023 Luiz Ernesto Barreto Proudly created with Wix.com