Escola ganha decoração de Natal sustentável criada nas aulas do Prinart


Materiais recicláveis deram vida à decoração natalina da Escola Estadual Maria Leite Marcoski, no Bairro Jardim Marajoara I, em Várzea Grande. Pelo quarto ano consecutivo, o pátio da escola se tornou uma galeria de arte para expor os trabalhos desenvolvidos no Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola (Prinart).


De acordo com o professor Alisson Bonfim, responsável pelas aulas, o projeto começou a ser desenvolvido na escola em 2017, com artes plásticas, coral e flauta. Neste ano, o diferencial veio com o envolvimento dos estudantes de todas as turmas.


“Temos uma escola que oferta o ensino desde o 4º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio, então, tivemos uma procura muito grande e quase não conseguimos atender os estudantes. Hoje são mais de 140 inscritos nas aulas”.


A maior turma do Prinart é a de artes plásticas. “Eles gostam muito de desenvolver os trabalhos com reciclagem, artesanato e origamis, por exemplo”, conta o professor, que é formado em Música e pós-graduado em História.


Para desenvolver os trabalhos artísticos, contou com cursos de formação e e aperfeiçoamento nas artes visuais. “Temos estudantes que moram perto da escola, mas também aqueles que moram longe. Eles frequentam e gostam das aulas, que têm ajudado na melhora da coordenação motora, raciocínio lógico e matemática”.

Decoração de natal


Alisson conta que a decoração da escola já é uma tradição. Esse é o quarto ano em que o pátio da escola abriga as obras natalinas feitas com material reciclado, em especial, garrafas pet.


“Com o trabalho de reciclagem, tivemos a ideia de montar o cenário. O primeiro ano foi só com uma árvore. Incrementamos nos anos seguintes e foi surgindo o boneco de neve, flores, e agora, o anjo”, lembrou.


O professor ressalta que o trabalho não é fácil. Os materiais são reaproveitados ano a ano, seja no desenvolvimento de novas obras ou até de modelagem. “É uma realização muito grande ver. Os estudantes abraçaram o desafio e fizeram o projeto avançar”.


Crescendo com a arte


A estudante Kezya Mariane de Almeida, de 11 anos, conta que é o segundo ano em que ela participa do Prinart e que suas funções na aula mudaram conforme ela foi crescendo.


“Ano passado a gente não podia mexer com tinta, mas isso mudou. Agora já podemos usar outros materiais e desenvolver outras atividades”, contou.


Para a decoração de Natal, ela ficou responsável pela pintura das garrafas, bem como a confecção de flores. “Fizemos vários tipos de flores, com materiais como jornal, de garrafa. Colamos todos os enfeites”.


Para a jovem, o uso do material reciclado é uma forma de deixar o ambiente em harmonia. “Aqui em Várzea Grande, que é a nossa casa, podemos ajudar o ambiente com a reutilização dos materiais. Todo mundo gosta”.


Fátima Sales, professora de língua portuguesa, contou que essa foi a sua primeira experiência com o Prinart. “Achei incrível, você pega o material e não tem a noção de que ele pode se transformar. Mas, isso acontece. Ele ganha vida e é muito belo. Temos que aproveitar essas práticas, transformá-las em arte”.


A professora conta que se emociona ao perceber que a escola está nesse patamar de sustentabilidade. Mas, acima de tudo, se emociona ao perceber que os estudantes têm o poder de transformação.


“A mensagem é muito clara, eles descobrem que podem transformar o que está em sua volta. Acredito que assim eles esquecem o que não é necessário, mas que podem mudar o mundo, que podem passar a emoção que há na arte”, finalizou.


#cultura #reciclavel #escola #arvore #natal

Posts Em Destaque
Posts Recentes