Morre aos 113 anos líder quilombola Antônio Mulato

Ele era o homem mais velho de Mato Grosso e símbolo da resistência quilombola

Morreu em Cuiabá, no começo da noite de sábado (15), Antônio Benedito da Conceição, mais conhecido como Antônio Mulato, líder e símbolo da Comunidade Quilombola Mata Cavalo, localizada no município de Nossa Senhora do Livramento (42 Km ao sul de Cuiabá). Com 113 anos de idade, ele era o quilombola mais velho do país.


Em sua trajetória de vida, Antônio Mulato se destacou por lutar pela igualdade racial. Em 1940, conseguiu instalar a primeira escola pública do Brasil em uma comunidade quilombola.


Nas décadas de 1950, 1960 e 1970, em decorrência de sua defesa da terra quilombola, Mulato recebeu incontáveis ameaças de morte, por não aceitar deixar as terras que receberam.


Mulato sofria de mal de Parkinson e Alzheimer, e estava internado há 10 dias no Pronto-socorro de Várzea Grande. De sua descendência, além dos 13 filhos, deixou 38 netos, 44 bisnetos, 29 tataranetos e quatro trinetos.


“Meu avô Antônio Mulato foi um exemplo pra mim em todos os quesitos. Desde menino comecei a me orgulhar dele, ouvindo seus conselhos e aprendendo com seu modo de tratar as pessoas. Era homem simples e brincalhão, porém sério e nunca reclamava da vida. Meu amor, respeito e a minha saudade serão eternas a ele por toda a vida.”


Assim destacou, em nota, Airton Conceição de Arruda, sobre a morte de Antônio Benedito da Conceição.



Posts Em Destaque
Posts Recentes